ago 15

Semana da Família 2017

Se procurarmos nos dicionários o significado de “Família”, certamente, constataremos se tratar de um grupo de pessoas com ancestralidade em comum vivendo sob o mesmo teto, porém sabemos se tratar de algo mais. Sabemos que em Família está a célula primeira da sociedade, pois na mesma constatamos se tratar de um criatório de sentimentos e desejos que irão impactar positiva ou negativamente na sociedade. Pois é na Família que os exemplos, oriundos, dos pais irão formatar o caráter (marca) dos filhos e esses a imporá na relação com terceiros. Se procurarmos, também, nos dicionários a designação de “Igreja” constataremos se tratar de um conjunto de pessoas, nunca de um templo, na pretensa de se viver harmonicamente sob a orientação dos ensinamentos de Jesus Cristo. Para tanto, mediante aos bons exemplos da Família de Nazaré, foi realizado entre os dias 06 a 13 do corrente mês, consoante ao desejo comum de todos os movimentos e pastorais de nossa paróquia e sob a orientação da CNBB, a Semana da Família, quando se pretendeu uma reflexão profunda sobre os problemas que avançam em nossa sociedade, e denunciar o propósito de cada um na construção de um mundo melhor. Se buscarmos pela memória nas muitas homilias proferidas pelo Pe. Paulo Marcelo, constataremos  a afirmativa do profeta Jeremias: __ “Antes que no seio fosse formado eu já te conhecia; antes do teu nascimento eu já havia te consagrado”, para tanto nós temos uma responsabilidade nesse mundo, nós não estamos aqui pelo acaso da sorte, ou meramente como reação de uma relação sexual. Há uma máxima, que infelizmente não sei o autor, que corrobora os dizeres de Jeremias:__ “De onde vem o propósito de nossas vidas? Vem do acaso como se fosse sorte, ou é um chamado de Deus acenando a cada um de nós, para que possamos fazer a nossa parte no mundo?”. Nessa pretensa tivemos uma semana forte, quando se pôde ir fundo nesse propósito salutar, que é o de através do compromisso do “Sim”, assumidos na realização do matrimônio, formatar uma sociedade com valores éticos, quando a equivalência entre todos possam se tornar uma realidade. Para tanto tivemos significativos testemunhos compartilhados pelas senhoras: Leila, Lívia, Jerusa, Cláudia do Totone e Alessandra, que através de narrativas, que muito mais do que emocionar, tiveram a intenção de mostrar que os problemas são oriundos a todos, que a perfeição é uma utopia, que a vida em família não é linear, mas que através da fé, da perseverança e da parceria entre marido e mulher os mesmos podem se tornar um tônico para uma vida estável e feliz (sem a idealização dos romances açucarados).

Na representatividade da Família Dorense, a cada dia um casal adentrou pela nave rumo ao presbitério soerguendo nas mãos a imagem da Sagrada Família de Nazaré, a saber: Fernando e Cássia (e a neta Fernanda Beatriz), José Luiz e Jaine Silvana, Totone do Zé Inácio e Branca ( e família), Clayzer e Moema (e filhos: Gustavo e Fábio), Márcio e Carminha, José Amaro e Irani (e filhos), Ditinho Lacerda e Conceição.

Em meio às celebrações as famílias de todos os seguimentos sociais estiveram representando as demais e pudemos contar, também, com todas as pastorais e movimentos. Tal acontecimento foi encerrado em  meio um frio intenso, em passeata da Praça Cardoso  a Matriz, ao som da bela música do Pe. Zezinho: … Que a família comece e termine sabendo aonde vai / E que o homem carregue nos ombros a graça de um pai / Que a mulher seja um céu de ternura, aconchego e calor / E que os filhos conheçam a força que brota do amor…Encerrando com a celebração de uma Missa Festiva, quando se pôde enaltecer , mais uma vez o protótipo da Sagrada Família, como orientação a todas outras, além de prestar uma homenagem ao Dia dos Pais.

Parabéns ao casal de coordenadores da Pastoral Familiar: Wellington e Vilmara e a todos os outros envolvidos, que fizeram desta Semana algo diferenciado, quando  tantas mensagens puderam ser absorvidas e ,se Deus quiser, a partir de então, possam ser vivenciadas!

Por João Bosco de Melo – PASCOM

Dores de Campos, 13 de agosto de 2017

Fotos: PASCOM

ago 14

Informativo da Pastoral Familiar – Agosto 2017

PASTORAL FAMILIAR – DORES DE CAMPOS- MG

Diocese de São João Del Rei – MG

Forania de Nossa Senhora da Conceição

 

Diretor Espiritual: Padre Paulo Marcelo Daher Gomes Filho

Casal Coordenador Geral: Wellington e Vilmara

Casal Vice coordenador: Alexandre e Emilia

A Pastoral Familiar se divide em três setores:

– Setor Pré-Matrimonial – Jaques e Daniely

– Setor Pós Matrimonial – Dimas e Regina

– Setor Casos especiais – Mara e Chioca.

Falecimento

É com grande pesar que a Pastoral Familiar envia seus sentimentos a todas as famílias que perderam seus entes queridos no mês de julho. Que Deus os console.

Trabalho da Pastoral no Mês

Agenda de agosto:

  • Dia 02 – Adoração Mensal (Setor Pré Matrimonial)
  • Dia 09 – Estudo Bíblico
  • Do dia 06 ao dia 13 de agosto – Semana Nacional da Família (Missa todos os dias)
  • Dia 28 – Reunião mensal

O QUE ACONTECEU EM JULHO?

Missa da Família

1º encontro para formação de novos Agentes da Pastoral Familiar

A pastoral Familiar (setor pré – Matrimonial) iniciou o terço com as crianças

Aniversariantes do Mês de Agosto:

Individuais:

  • 10 – Dimas
  • 20 – Alda
  • 23 – Alice
  • 25 – Luiza

Casamento:

  • 11 – Mara e Chioca

Conheça a vida dos Santos

SÃO BARTOLOMEU APÓSTOLO – 24 de Agosto

Bartolomeu, também chamado Natanael, foi um dos doze primeiros apóstolos de Jesus. É assim descrito nos evangelhos de João, Mateus, Marcos e Lucas, e também nos Atos dos Apóstolos.

Bartolomeu nasceu em Caná, na Galiléia, uma pequena aldeia a quatorze quilômetros de Nazaré. Era filho do agricultor Tholmai. No Evangelho, ele também é chamado de Natanael. Em hebraico, a palavra “bar” que dizer “filho” e “tholmai” significa “agricultor”. Por isso os historiadores são unânimes em afirmar que Bartolomeu-Natanael trata-se de uma só pessoa. Seu melhor amigo era Filipe e ambos eram viajantes. Foi o apóstolo Filipe que o apresentou ao Messias.

Até esse seu primeiro encontro com Jesus, Bartolomeu era cético e, às vezes, irônico com relação às coisas de Deus. Porém, depois de convertido, tornou-se um dos apóstolos mais ativos e presentes na vida pública de Jesus. Mas a melhor descrição que temos de Bartolomeu foi feita pelo próprio Mestre: “Aqui está um verdadeiro israelita, no qual não há fingimento”. João 1, 45 – 51. 

Ele teve o privilégio de estar ao lado de Jesus durante quase toda a missão do Mestre na terra. Compartilhou seu cotidiano, presenciou seus milagres, ouviu seus ensinamentos, viu Cristo ressuscitado nas margens do lago de Tiberíades e, finalmente, assistiu sua ascensão ao céu.

Depois de Pentecostes, Bartolomeu foi pregar a Boa-Nova. Encerradas essas narrativas dos evangelhos históricos, entram as narrativas dos apócrifos, isto é, das antigas tradições. A mais conhecida é da Armênia, que conta que Bartolomeu foi evangelizar as regiões da Índia, Armênia Menor e Mesopotâmia.

Superou dificuldades incríveis, de idioma e cultura, e converteu muitas pessoas e várias cidades à fé do Cristo, pregando segundo o evangelho de são Mateus. Foi na Armênia, depois de converter o rei Polímio, a esposa e mais doze cidades, que ele teria sofrido o martírio, motivado pela inveja dos sacerdotes pagãos, os quais insuflaram Astiages, irmão do rei, e conseguiram uma ordem para matar o apóstolo. Bartolomeu foi esfolado vivo e, como não morreu, foi decapitado. Era o dia 24 de agosto de 51.

A Igreja comemora são Bartolomeu Apóstolo no dia de sua morte. Ele se tornou o modelo para quem se deixa conduzir pelo outro ao Senhor Jesus Cristo.

Fonte: www.obradoespiritosanto.com

Reflexão:

“Entender a vontade de Deus nem sempre é fácil, mas crer que ele está no comando e tem um plano pra nossa vida, faz a caminhada valer a pena”.

 

 

jul 27

4º Acampamento de Férias da Juventude Carismática Católica

Em consonância com os festejos do Jubileu de Ouro da Renovação Carismática Católica no Brasil e em todo o mundo Cristão, aconteceu nos dias 22 e 23 do corrente mês, nas dependências da APAE o “ 4º Retiro de Férias da Juventude Carismática Católica”  sob o tema: “O Espírito Santo descerá sobre Ti” Lc 1,35, tendo o auxílio luxuosa de jovens pregadores, oriundos da Comunidade Marccas, da cidade de Sete Lagoas/MG. Os trabalhos iniciaram com a Louvação ao Espírito Santo, tal qual no pentecostes de uma Jerusalém distante, pôde-se observar a gratuidade da entrega, sem reservas, de todos os jovens sedentos de desfrutar a Boa Nova dos Evangelhos que seriam jorrados, através da 1ª pregação (pregador: Jonas):  “…Mas descerá sobre Ti o Espírito Santo e a força do Altíssimo te envolverá com a sua sombra” (Lc 1,34-35), quando Maria é enaltecida de maneira concreta como sendo a Mulher cuja docilidade e obediência, sem titubear, permitiu o aconchego do verbo em suas entranhas, para a salvação da humanidade, quando, também, se observou nela a grande educadora,  do nosso “grande” mestre: Jesus Cristo. Logo após aconteceu o Sacrifício da Santa Missa, conduzida por Pe. Paulo Marcelo, que na oportunidade permitida pela homilia, ratificou  importância da iniciativa ao reunir tantos jovens na intenção de um ideal salutar, ante um mundo caótico. Em seguida aconteceu a 2ª pregação (pregador Rogério): “Jesus Senhor e Salvador”, quando foi observado e asseverado, que o único caminho para a salvação individual e coletiva no mundo é Jesus. Logo após, através de critérios ponderáveis, ante a coisificação do sexo, falou-se sobre “Afetividade e Sexualidade” obedecendo e respeitando a faixa etária e em seguida foi permitido a partilha, quando todos puderam esclarecer várias dúvidas. Dando seqüência aconteceu a 3ª pregação (pregador Cleber): “Santidade é possível no Espírito Santo”, quando de maneira incisiva pôde-se observar, que a salvação é possível desde que se tenha como norte a força renovadora do Espírito Santo, ante o acreditar, através da oração.

No segundo dia os trabalhos foram iniciados com a Adoração no intuito de preparar todos os corações para a 1ª pregação (pregador: Juninho), cujo teor  já se sabia forte: “Se crê, será salvo tu e tua família”, quando foi delineado de maneira crua a peçonha do submundo da droga e a banalidade do valor: Vida. Vale ressaltar que o testemunho ali declarado propiciou lágrimas, muitas lágrimas. Logo em seguida houve o momento Mariano, quando pôde-se  enaltecer, mais uma vez, a  importância de Maria  no processo da salvação. Logo após o almoço aconteceu a 2ª pregação (pregadora Ana): “Curados para Amar”, quando foi asseverado que para curar e soerguer um lar, quase em ruínas, é necessário acreditar na força renovadora do Espírito Santo e saber perdoar. Para finalizar o evento foi celebrada, pelo Pe. Rogério (São João del Rei), o Sacrifício da Santa Missa, quando, na observância do evangelho sobre o trigo e o joio, destacou a linha tênue que separa os antagônicos: certo e errado, bom e mau, permitido e proibido na caminhada rumo à Santidade. O evento foi finalizado com um, breve, conselho de Júlio César aos jovens:__ Queridos companheiros de caminhada, o tempo forte acabou, porém ele deu muita bagagem a todos vocês para a caminhada nos tempos comuns. Para tanto não dispersem dessa intenção tão bonita e salutar que foi semeada nesses dois dias. Amém!

Por João Bosco de Melo – PASCOM

Dores de Campos, 24 de julho de 2017

jun 19

Caminhada ao Livramento

A caminhada ao Livramento tem sido um evento com grande presença de fieis e devotos de Dores de Campos, Prados e outras cidades da região. Os paroquianos dorenses, totalmente contritos, saíram 08h00min horas da manhã em caminhada com o pároco Padre Paulo levando em suas mãos Terços e imagens de Maria, com codinomes diversos. Muitas pessoas subiram rezando e muitas em conversas amenas fazendo da caminhada um ambiente leve e fraterno. A subida foi tal qual aos relatos bíblicos, que mostra o povo hebreu em contato com a natureza, nos momentos de súplica e agradecimento a Deus. Vale ressaltar que tal caminhada antecede a grande festa de Nossa Senhora do Livramento.

Sendo os primeiros a chegar às cercanias da Capela os paroquianos dorenses esperaram pelos vizinhos pradenses e com a chegada dos mesmos a Missa Festiva foi concelebrada pelos: Pe. Paulo Marcelo, da Paróquia de Nossa Senhora das Dores e Padre Dirceu Medeiros, da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição. A multidão participou da missa com muita fé e devoção. Na homilia Padre Dirceu remeteu-se ao Papa Francisco e citou três pontos importantes para o momento de reflexão: O significado da Caminhada para o povo de Deus, que representa o contato com a natureza, Criação Divina, tão maravilhosa e devastada pela humanidade em prol do lucro.  Outro ponto abordado foi à questão da crise das lideranças no mundo, quando o mundo vive um tempo de carência de líderes e somente o Papa Francisco encarna as características de um grande líder, pois em suas viagens e contatos tem aproximado as religiões, de credos diferentes, e com isso estabelecendo a cultura de paz e de tolerância. Terminou a homilia citando os doze apóstolos, mostrando que tal escolha não foi um equívoco, mas uma didática para mostrar que o reino de Deus é e será formado por criaturas sujeitas aos tropeços nas armadilhas impostas pelo mundo, porém com a convicção do progresso espiritual. Exemplificou a fragilidade de Pedro em face de sua negação, por três vezes, a Ele. E disse, exemplificando, que quando o padre convida paroquianos para compor o Ministério da Eucaristia, escolhe pessoas comuns e, haja vista, que alguns convidados não se sentem dignos da missão. A isso finalizou afirmando: “Deus não escolhe os capacitados, mas capacita os escolhidos”.

Ao término da missa Padre Paulo e Padre Dirceu coroaram Nossa Senhora do Livramento em comemoração ao ano Mariano Cristão, uma vez que em outubro desse ano (2017) a igreja comemora 300 anos da aparição de Nossa Senhora Aparecida e 100 anos da de Nossa Senhora em Fátima. Padre Paulo afirmou que todos os títulos concedidos a Maria são apenas menções à mesma mãe de Deus e nossa Mãe Maior. Foi um momento que ressaltou, mais uma vez, a Fé de todos os presentes.

Dores de Campos, 18 de junho de 2017

Por Sirlene Cristina Aliane – PASCOM

Fotos: Ayla Darlene de Souza – PASCOM

jun 19

Missa Festiva do Apostolado da Oração e do Desagravo do Coração de Jesus

Com o Canto “…Coração Santo Tu reinarás! Tu nosso encanto, sempre serás! Jesus amado, Jesus piedoso, Pai amoroso, frágua de amor… Foi adentrado pela nave a bandeira do Apostolado da Oração, soerguida pelas aspirantes a zeladoras: Sra. Dinéia, Srta. Erika e ladeadas pelos soldados mirins que fariam, mais tarde, o Desagravo do Sagrado Coração de Jesus. Após as leituras, pertinentes à celebração, Pe. Paulo Marcelo mostrou à importância desse movimento iniciado  em Vals na França, num colégio jesuíta em 03 de dezembro de 1844, tendo na frente o Pe. Gautrelet ,  aprovado pelo Bispo Le Puy e sancionado no ano de 1849 pelo Papa Pio Xl, valendo ressaltar, que tal movimento iniciou em  Dores de Campos no ano de  1902. Em tempo deu um belo testemunho ao denunciar, que a falta de oração pode levar uma pessoa a perder, a própria  essência de sua vida, através das seduções equivocadas, de um mundo enganador. Mostrando, que quase sempre, vitimados por uma felicidade passageira e sintética, muitos se derrocam ante um abismo, na maioria das vezes, sem retorno. Antes da benção final, com o auxílio da Sra. Ambrozina  foram apresentadas à assembléia, 02 zeladoras e inúmeras zeladas. Terminada a celebração houve o Desagravo do Sagrado Coração de Jesus, entre cantos desafinados, porém graciosos, efetivado por inúmeros meninos, acompanhados pelas Sras. Nilma Helena e Luiza de Marilac, valendo render a essas, os mais sinceros agradecimento, pela manutenção dessas manifestações de carinho e religiosidade à nossa Igreja Católica.

Por João Bosco de Melo – PASCOM

Dores de Campos, 16 de junho de 2017

jun 17

Solenidade de Corpus Christi

O Corpus Christi, corpo e sangue de Jesus Cristo, foi comemorado pelos católicos nesta quinta-feira, 15 de junho. Em nossa paróquia, houve missas e a tradicional procissão com bênçãos do Santíssimo em vários pontos. Durante o trajeto acompanhando o próprio Jesus, acredito que cada fiel sentiu por um instante a sensação de estar no céu, ao ver um dia tão belo em que a paz pairava no ar, vislumbrando a delicadeza e o amor com que os fiéis ornamentaram as ruas por onde o Rei dos reis iria passar. Ao chegar na matriz, foi recebido com uma calorosa salva de palmas e uma belíssima missa aonde mais uma vez Ele fez-se alimento para nossa alma. E ao findar ainda recebemos uma bênção através das mãos ungidas do nosso pároco, Pe.Paulo Marcelo.

Por Ayla Darlene de Souza – PASCOM

Fotos: PASCOM

jun 16

Comemorando mais um exemplo de santidade: “Santo Antônio”

Nessa terça-feira, 13 de junho de 2017, através do santo sacrifício da missa às 19:00 foi homenageado Santo Antônio, exemplo de desprendimento e serviço total ao reino de Deus. Quando na homilia, Pe.Paulo falava da importância da vida dos santos como um roteiro a ser seguido por cada cristão, assim como tantos outros santos, tiveram uma vida comum e simples, mas plena da entrega aos planos que Deus tinha para eles. Ainda lembrava da riqueza de nossa igreja com tantos exemplos de santidade. Relatou-nos a caminhada de Santo Antônio desde seu nascimento…Terminando esse belo momento com uma bonita tradição das bênçãos dos pães que geram fartura em nossos lares e a coroação de Santo Antônio pelos meninos paroquianos.

Santo Antônio,rogai por nós!

Por Ayla Souza – PASCOM

maio 31

Dia Mundial das Comunicações Sociais

Hoje, mais precisamente dia 27/05/2017, através do sacrifício da Santa Missa às 19:00 h, comemorou-se o Dia Mundial das Comunicações Sociais, quando na homilia Pe. Paulo Marcelo exaltou, de forma profícua a comunicação como instrumento eficaz no processo de Evangelização. Porém ao enaltecer o Dias das Comunicações temos que render graças àquela Mulher cujo proceder tornou possível o processo da salvação e mais do que isso a fez a grande educadora e a comunicadora do Salvador: Jesus Cristo, que no alto do madeiro a tornou Mãe de todos nós e a seta que nos trará de volta a Ele, sempre. Pois no seu silêncio tão bem decantado por Larrañaga, foi-lhe propiciado uma intimidade de escuta e entendimento com Deus e Ela fez-lhe a vontade:__perdeu a sua vida, para se salvar, exemplificando com isso, que devemos, tal qual o asseverado por Lao Tsé, sacrificar o “ego” (eu egoísta) a favor do “Eu” (eu universal).  Então, queridos paroquianos, temos que entender que todos nós, Católicos, a princípio, somos Marianos, pois foi Maria, que nos levou a Jesus e apresentou Ele a nós, através das orações e dos Santos Rosários e fez-nos Cristãos. Não foi à toa que no canto Magnificat Ela se tornou:__Ave Maria, a cheia de Graça!

Consoante ao descrito, vamos rezar uma “Ave Maria”, pra essa grande Mulher, que tornou-se norte de todos nós e o símbolo das Comunicações Sociais!

Por João Bosco de Melo – PASCOM

27 de maio de 2017

maio 19

Nossa Senhora de Fátima

Aos treze de maio do ano de 1917 na cova da Iria eis que no céu aparece a Virgem Maria, resplandecente como a luz do sol, por sobre uma pequena azinheira a tornar portadores, de mensagens redentoras, três pastorinhos: Lúcia, Jacinta e Francisco. Era um tempo em que o mundo se debatia nos flagelos provocados pela 1ª Grande Guerra e a derrocada da autocracia na União Soviética por Vladimir Lênin disseminava no mundo ideias revolucionárias em prol de um comunismo pagão. Eis que na providência de denunciar ao mundo os erros cometidos e apontar um caminho, através de uma nova consciência Maria Santíssima aparece nos arredores da freguesia de Fátima, em um terreno, pertencente aos pais de Lúcia, denominado Cova da Iria, com a singela mensagem, porém eficaz, que o mundo deveria se consagrar ao Seu Imaculado Coração, através da reza do Santo Rosário.  Em fase de tal sobrenaturalidade presenciada, os três pastorinhos não se contiveram e espalharam o acontecimento na pequena aldeia de pastores, avançando para todo o mundo Cristão. Precavida, a Igreja, num primeiro momento, se mostrou incrédula ante tal notícia, porém aos poucos começa a dar crédito aos fatos presenciados e contados pelos três pastorinhos, devido à profundidade e seriedade das mensagens enviadas por aquela Bela Mulher, que em momento algum foi denominada como sendo a Virgem Maria. Sabedor das mensagens enviadas, através daquela Bela e Reluzente Mulher o mundo foi se compadecendo da veracidade dos fatos contados por aquelas três crianças e começa a acreditar. Porém o mundo não se regenerou ante os pedidos e uma 2ª Grande Guerra é deflagrada, o comunismo avançou, o abuso de poder e a incapacidade de liderar continuam a massacrar cada vez os liderados tornando vasta a pobreza, a fome e a miséria, ante uma minoria de privilegiados. Porém a pequena chama que ardia nos coraçõezinhos daqueles três pastorinhos há 100 anos disseminada por aquela Bela Mulher, naquela distante e esquecida Cova da Iria, continua a arder nos muitos corações dorenses, que através da prática devocional faz-nos  recitar o Santo Rosário, a coroar a Sua grandeza, a Lhe acompanhar em procissão pelas ruelas do Bairro do Catete e a fazer do mês de maio, o mês da Virgem Senhora de Fátima e de todos codinomes dados, quando de suas muitas manifestações. É necessário ressaltar que Maria foi e será a mulher emblemática e incompreendida, que será contestada por uma minoria obtusa, porém venerada e aclamada por muitos, como a Mulher vestida de sol, que sempre pisará na cabeça de todos os dragões que insistem em nos confundir e distrair; e que sempre nos dará o milagre, concedido por seu Filho Jesus, de um sol abrasador a secar a lama de todos os nossos pecados, tal qual o acontecido há 100 anos, na Cova da Iria.

Por João Bosco de Melo

Dores de Campos, 14 de maio de 2017

abr 20

Semana Santa 2017

Há que se entender que antes da Semana Santa ou Semana Maior se iniciar com Domingo de Ramos, a comunidade veio ao longo dos quarenta dias refletindo, através de interiorização causada pelas orações, próprias ao tema, na denúncia dos acontecimentos fatídicos, porém originários de nossa fé em Cristo. Então uma vez maturada as intenções Pe. Paulo Marcelo, irmanado a uma turba, defronte a Capela Nossa Senhora do Rosário começou o Sacrifício da Santa Missa, intermitindo essa com a peregrinação em procissão até a Matriz Nossa Senhora das Dores, quando se deu a sequência com o Evangelho da Paixão de Cristo. Triunfalmente a celebração da Santa Missa foi encerrada com a cantata de Bach “Jesus Alegria dos Homens” conduzida pelo maestro Silas Freitas. Vale ressaltar que esse domingo é de suma importância no contexto de nossa fé, pois nele Jesus polemizou toda a multidão ao adentrar em Jerusalém por sobre um jumento, animal esse comum à época, num gesto a demonstrar toda a sua grandiosidade e generosidade, ao se fazer pequeno, na intenção de que Deus é para todos, indistintamente. À noite a imagem de Jesus é transladada da Matriz em direção à capela Nossa Senhora do Rosário, para prosseguir na segunda-feira em procissão ao encontro de Maria, na avenida principal da cidade, quando em uma primeira homilia Pe. Rodrigo, de maneira simples e direta emocionou a todos asseverando que toda a vilania denunciada nesse encontro serve para dar a todos, através de uma reflexão profunda, a intenção de que tudo foi permitido, para dar a todos uma segunda chance, na caminhada em sentido contrário ao pecado.

Na terça a bela imagem de Nossa Senhora é transladada para a Capela de N. S. do Rosário, para que na noite de quarta-feira saísse à procura de Jesus pelas ruas de uma Nazareno Dorense, parando de quando em quando nos passinhos ao som dos motetos. Na quinta-feira, já pela manhã, Pe. Paulo Marcelo e três, dos cinco, missionários dorenses: Jônatas, Jefferson e David rumaram para a Igreja Nossa Senhora do Pilar, em São João del Rei na intenção de participar da Santa Missa do Crisma (presidida pelo Bispo Emérito: Dom Waldemar Chaves de Araújo), representar a paróquia Nossa Senhora das Dores e buscar os Santos Óleos (Catecúmenos, Unção dos  Enfermos e do Crisma). À noite houve o cerimonial do Lava Pés, ou a Instituição da Eucarístia, rememorando a derradeira Ceía, quando na ocasião Pe. Paulo Marcelo escolheu 12 jovens acólitos, representando os discípulos, e em tom jocoso foi caracterizando-os e apresentando-os à comunidade. Terminada a celebração houve a vigília ou a Adoração do Santíssimo Sacramento em duas escalas: de 22:00 h às 23:00 h e de 23:00 h às 24:00 h, quando o altar é desnudado ao som da matraca.

Na sexta-feira a cidade amanheceu um pouco silenciosa, em respeito à morte de Jesus, sendo que às 15:00 houve a Ação Litúrgica, quando, mediante a morte de Jesus Pe. Paulo Marcelo se prostrou no chão numa mortificação silenciosa, seguida das leituras, comunhão e do Beijo da Cruz. Á noite em meio ao sermão, proferido pelo  Pe. Vinícius Ildefonso Campos, enquanto o mesmo traça uma genealogia do pecado, de maneira profunda, Jesus foi sendo retirado da cruz. Quando por fim Jesus é colocado no esquife um lamento de Verônica se fez ouvido por todos:__  “Oh vós todos, que passais pela via, vinde e vede: se há dor semelhante a minha. Atentai povos do mundo, e vede a minha dor”. Em seguida o esquive carregando o Corpo de Jesus, seguido por Maria é conduzido em procissão solene pelas ruas da cidade. No sábado, mais precisamente às 21:00 h, o interior da matriz Nossa Senhora das Dores se imerge na escuridão , então o fiat lux do Círio Pascal  vai iluminando, através das velas sustentadas pelos fiéis, todo o interior da matriz, nesse momento as leituras começam a delinear a história da salvação. Findadas as leituras o som estrondoso e alegre do Glória se faz ouvido e as luzes, todas, são acesas e o sino, por fim, começa a repicar incessantemente. Uma vez Jesus Cristo ressuscitou, o Mesmo percorre em procissão pelas proximidades da matriz.

Findando todo o fundamento da nossa história de salvação, no domingo, mais precisamente às 17:30 h, Maria sai gloriosamente de branco  pelas ruas a demonstrar que a Cruz onde seu filho foi pregado não foi e não deve ser entendido como um escândalo, um fracasso e sim um sinal, para a redenção de todos nós. Uma vez terminada a procissão houve a exposição do Santíssimo, quando Pe. Paulo Marcelo permitiu que todos O tocassem com suas mãos impuras, porém com intenções nobres. Ao final houve benção, quando todos puderam acreditar que galgaram mais um degrau à proximidade de Jesus.

Amém!

Texto: João Bosco de Melo – PASCOM

Fotos: PASCOM

Dores de Campos, abril de 2017

Domingo de Ramos

Segunda-Feira Santa

Terça-Feira Santa

Quarta-Feira Santa

Quinta-Feira Santa

Sexta-Feira Santa

Sábado Santo

Domingo da Ressurreição

Posts mais antigos «