dez 08

Primeiro Encontro de Adolescentes com Cristo – EAC

No último final de semana, mais precisamente nos dias 02 e 03 do mês de dezembro, através de um pedido do Pe. Paulo Marcelo Daher Gomes Filho aos 05 casais dirigentes do ECC (Encontro de Casais com Cristo), aconteceu o Primeiro EAC (Encontro de Adolescentes com Cristo) e a inserção desse Movimento na Paróquia de Nossa Senhora das Dores, na pretensa de se ter um Encontro pessoal com Jesus Cristo e de formatar uma ponte entre eles e a Igreja, uma vez que o Papa Francisco consagrou o ano do laicato, iniciado este nas Solenidades de Cristo Rei e, também, obedecendo a intenção de Dom Célio de Oliveira Goulart, no que tange a refrigeração da Igreja, pela juventude.  Entre os muitos temas explanados, através das muitas palestras, vale destacar a proferida por Pe. Paulo Marcelo, totalmente Mariana: “Eis a Serva do Senhor. Faça em mim segundo Tua vontade”, quando na oportunidade ele discorreu, apaixonadamente, sobre a disciplina e obediência de Maria, ante a vontade do Pai, além da disposição desta, ao serviço. Terminado os objetivos pretendidos no Encontro, todos rumaram das dependências da Escola Estadual Duque de Caxias à Matriz Nossa Senhora das Dores, para a Missa Festiva. Assim que o relógio marcou 19:00 horas a nave da matriz foi invadida por uma turba de jovens dançando, ostentando bandeiras, cantando “Facho de Luz” e espalhando a alegria a todos, que de emocionados recordavam a juventude pretérita. Durante a homilia Pe. Paulo Marcelo expôs, com muita competência, as armadilhas e o ambiente sórdido que o mundo oferece, através dos muitos descaminho das oportunidades vazias. E asseverou, que somente, através de um engajamento na Boa Nova de Cristo, pode-se enfrentar os obstáculos inerentes à caminhada humana. Na oportunidade discorreu sobre a coincidência desse 1º Encontro à Primeira Semana do Tempo do Advento, uma vez que ambos tem a pretensa de informar que algo novo está para chegar, pois a juventude contém em si os instrumentos e oportunidades para mudar esse mundo velho e viciado no imoral, na corrupção. Foi um encontro belíssimo, quando se pôde constatar toda a vivacidade , todo o movimento de uma Igreja, que muitos insistem em torná-la asmática, fechada.

Ao final Pe. Paulo Marcelo no alto de seus 50 anos e mais alguns se misturou à toda turba de jovens para uma foto, que ficará para a posteridade, quando a Igreja de Dores de Campos se tornou, verdadeiramente jovem, muito jovem. Em tempo vale ressaltar que participaram desse encontro 40 jovens de Dores de Campos, 20 jovens do EAC Dom Bosco (Paróquia de São João Bosco – São João del Rei) e mais a mobilização de 85 voluntários de Dores de Campos na organização do evento.

Parabéns a todos os envolvidos! Que no ano vindouro, mais jovens se aderem a esse belo movimento: “Encontro de Adolecentes com Cristo – EAC.

Por Franciole Karine Ramalho e João Bosco de Melo (PASCOM)

Dores de Campos, 06 de dezembro de 2017

nov 18

Relatório do 12º Encontro da Irmandade do Santíssimo Sacramento – Cidade de Prados

6º Jubileu da Irmandade do Santíssimo, paróquia Nossa senhora da Conceição

Ontem, mais precisamente, dia 15 de novembro, defronte ao Salão Paroquial São Thomas de Aquino, às 08:40 h, rumaram para a cidade de Prados 32 componentes da Irmandade do Santíssimo Sacramento, sob o comando do Coordenador Gilmar Aparecido Tarciso, quando do 12º Encontro da tal Irmandade e também pela comemoração do 6º Jubileu da Irmandade anfitriã. Receosos dos visitantes se perderem, foram colocados fitas nas cores vermelho e amarelo amarradas nos galhos das árvores, que cortejando a todos se bruçavam, solenemente, pelos caminhos. Chegando ao local marcado todos foram convidados a fazerem o desjejum e em seguida a rezarem o terço na Igreja de Santo Antônio, quando a todos foram dadas as boas vindas pelos padres: Dirceu de Oliveira Medeiros (anfitrião), Eder Sebastião, Pedro de Jesus, José Raimundo e Antônio Claret, sendo que esse último evocou a benção do Santíssimo Sacramento e dando proteção a todos os Irmãos foram seguindo esses, de posse do Santíssimo em suas mãos, até o local, onde seriam efetuados os trabalhos, na Quadra Poliesportiva, junto ao Parque de Exposição, quando da chegada o Pe. Jose Raimundo efetuou a Benção do Santíssimo. De imediato foram apresentados os novos irmãos, que de posse de suas opas e murças foram ungidos pelo Pe. Eder Sebastião. Dando sequência aos trabalhos Pe. Dirceu de Oliveira Medeiros convidou o professor e historiador Rafael José de Souza a proferir a palestra “Irmandades Religiosas nas Minas Gerais – Séculos XVIII e XIX” que com muita sabedoria traçou uma linha do tempo pontilhando a importância dessa Irmandade fabriqueira, desde o período das Entradas e Bandeiras, mostrando sua importância nas construções de nossas belas igrejas com suas arquiteturas requintadas desde o barroco, passando pelo  estilo rococó e, ainda, toda a sua função social e cultural na formação da história do Brasil Colonial. A isso, sempre, dando os maiores créditos ao autor e historiador Dário Cardoso Vale, cuja obra “Memória Histórica de Prados” esteve à baila em todos os momentos. Na sequência foi apresentada a Comissão Diocesana da Irmandade do Santíssimo Sacramento, quando a todos foi permitido o uso da palavra, valendo ressaltar, a isso, o testemunho de Geraldo, tesoureiro, que de maneira simples e verdadeira emocionou a todos um acontecimento fatídico que ceifou a vida de sua jovem esposa. Em seguida houve o intervalo para o almoço. Após o intervalo para o quimo aconteceu a palestra de Pe. Paulo Marcelo Daher Gomes Filho, que de forma competente e linguagem simples foi delineando “O Caminho da Santidade”, como forma de mostrar a todos os presentes, que a mesma é permitida a todos, desde que se proponham a seguir os ensinamentos da Boa Nova de Cristo. A isso mencionou a parábola das Virgens prudentes e imprudentes (Mateus25. 1-13), como forma de mostrar a todos que a vigília e o mea culpa são coisas que devem ser constantes na vida, porém tendo a flexibilidade de quando cair, se levantar, quando errar, procurar acertar, lembrando, sempre, que somos humanos, que somos imperfeitos, porém tendo a noção de que a história de salvação se faz caminhado, para frente, tendo a certeza que Jesus, sempre, dará outra chance. Mediante a preparação, para o sacrifício da Santa Missa, houve diversos sorteios. Em meio à Santa Missa, Pe. Dirceu de Oliveira Medeiros homiliou, de maneira profícua, a importância da Eucaristia na vida de todos, mostrando que Jesus, quando da última Ceia deu a todos um grande tesouro, que é a sua presença real e substancial, através do pão (seu corpo) e do vinho (seu sangue). A isso fez de nós a sua “Shekinah” (habitação, morada), mostrando com isso o prejuízo da reforma protestante, que tirou de outras denominações a fração do pão. Asseverou, também, citando Pe. Antônio Vieira:__”Para Jesus foi mais difícil separar do seu povo, do que perder a sua vida”. Vale ressaltar que participaram desse grande evento os padres: Domingo Sávio, Jonas, Antônio Claret, José Raimundo, Joaquim Diogo, Pedro de Jesus, Luiz Carlos, Crésio, Eder Sebastião, Paulo Marcelo Daher, Dirceu de Oliveira Medeiros. Além de Ademir Noel, diácono permanente da Diocese de São João del Rei. Vale registrar a ausência do Bispo Diocesano Dom Célio de Oliveira Goulart, que devido a compromissos referente a outros setores da diocese, não pôde comparecer. Vale exaltar a competente banda que embalou com belas canções esse grandioso evento, valendo registra, também, a esse a presença de 41 (quarenta e uma) paróquias, 07 dioceses e 12 padres, o diácono permanente e o número presencial de 1.900 (um mil e novecentos) a 2.100 (dois mil e cem) Irmãos e Irmãs do Santíssimo Sacramento da Eucaristia.

Obrigado a todos pela, carinhosa, acolhida! Lembrando a todos que o próximo Encontro será na cidade de Madre de Deus de Minas.

Graças e Louvores sejam dados em todos os momentos!__Ao Santíssimo e Divino Sacramento!

Por João Bosco de Melo – PASCOM

Dores de Campos, 16 de novembro de 2017

nov 03

Finados

Um sufi despertou certa noite e disse para si: “O mundo me parece uma arca na qual somos colocados e onde, fechada a tampa, nos entregamos a toda a sorte de loucuras. Quando a morte ergue a tampa, o que conquistou asas alça vôo para a eternidade, mas o que não as conquistou continua na arca, presa de mil tribulações. Certifica-te, pois, de que o pássaro da ambição adquire asas de aspiração e dá ao teu coração e à tua razão o êxtase da alma. Antes que se abra a tampa da arca, converte-se num pássaro do Espírito, pronto para estender as asas”.

Para tanto, queridos paroquianos, finados é uma data que estabelece, para nós uma reflexão:__a vida é impermanente!  Se recorrermos a um jogral, que Maria José Lopes de Andrade gostava de fazer, quando professora  …A vida é o dia de hoje, a vida é um ai que mal soa, a vida é a sombra que foge, a vida é uma nuvem que voa! A vida é um sonho tão leve, que se desfaz como neve e como fumo se esvai!… veremos que se faz urgente termos uma vida saudável, distante daquilo que nos puxa para baixo, pois não sabemos o dia em que a vida será tirada de nós:Entretanto, o Dia do Senhor virá como ladrão, no qual os céus desaparecerão ao som de um terrível estrondo, e os elementos se desintegrarão pela ação do calor. (2 Pedro 3,10). A tudo isso Pe. Paulo Marcelo discorreu com muita propriedade no ofício da Santa Missa defronte do Cemitério.

É bom saber: (Sobre o Sufi: trecho retirado da obra “A Conferência dos Pássaros” e sobre o jogral, se refere a trecho de um poema de João de Deus Ramos)

Por João Bosco de Melo

Dores de Campos, 02 de novembro de 2017

out 15

Nossa Senhora Aparecida “300 anos”

A imagem de Nossa Senhora Aparecida encontrada em 1717 no rio Paraíba é símbolo de devoção e fé entre brasileiros de todo o Brasil. No início a devoção a essa santa era restrita aos pescadores simples que a acharam e a alguns moradores da vila. A esse tempo os milagres foram se espalhando e com eles a devoção, haja vista que a coroa de ouro e pedrinhas preciosas, por sobre a cabeça da imagem, foi doada pela Princesa Isabel, que na ânsia de se engravidar, porém sem sucesso, recorreu à Senhora Aparecida e conseguiu engravidar-se e conceber dois filhos. Passaram-se os anos e a pequena capela, para acolher os fiéis tomou grande devoção, tanto que é considerado o maior santuário católico do mundo. Atualmente milhares de fieis devotos vão à cidade de Aparecida a venerar em uma Basílica construída com grande estrutura para acolher a todos que buscam milagres através da Mãe Aparecida. Nesse ano de comemoração dos 300 anos o povo brasileiro está em festa e todas as dioceses e paróquias do Brasil comemoram tão especial data com festividade e alegria. A memorável data merece todas as honras e homenagens que estão sendo prestadas em todo o Brasil. Em tempo vale ressaltar que a coloração negra deveu-se às águas do rio, uma vez que ela ficou submersa por um longo período, até ser resgatada pelos simples pescadores, valendo, também, ressaltar que tal coloração foi à providência divina em repúdio à Escravidão. Não foi à toa que foi a Princesa Izabel que assinou a Lei Auréa, lei essa que infelizmente, podemos constatar que não saiu, integralmente do papel.

Em 16 de julho de 1930, por decreto do Papa Pio XI, Nossa senhora da Conceição Aparecida foi consagrada como Padroeira do Brasil. Em 1990 o Santo Papa João Paulo II consagrou o dia 12 de outubro como o dia de Nossa Senhora Aparecida e decretando tal dia como Feriado Nacional. Para fazer valer as importâncias do evento que se remonta do século XVIII, e esse mês mais precisamente no dia 08 as comemorações na paróquia de Dores de Campos iniciaram-se com a entronização da imagem de Nossa Senhora Aparecida. O pároco Padre Paulo fez a celebração com muita alegria e devoção, juntamente com os dorenses presentes na missa das 10h desse dia. Depois da missa, as pessoas beijaram e veneraram a imagem em sinal de respeito e devoção. A partir do dia 09 aconteceu um tríduo preparatório para o dia maior “12 de outubro”, nos quais o Padre Paulo preparou a população dorense para a grande data comemorativa dos 300 anos. Em uma das celebrações o padre chorou, ao explanar sobre atitudes de pessoas que tem desprestigiado a devoção a Nossa Senhora, descascando as imagens e demonstrando que é feita de cerâmica e gesso. A fé das pessoas está sendo objeto de ridicularização por indivíduos sem religião.

No dia 12 de outubro foram celebradas duas missas na paróquia de Dores de Campos, às 10:00 horas da manhã e às 18:00 horas, que trouxeram uma multidão para a igreja, quando o Padre Paulo abordou a importância da fé em Nossa Senhora Aparecida, venerada por milhões de brasileiros. Ressalta ainda que a devoção a Nossa Senhora remonta 2000 anos de história, a Mãe do Salvador da humanidade. Essa última foi seguida por uma procissão contrita, quando os fieis demonstraram sua fé à Mãe Aparecida. As festividades terminaram com uma linda e emocionante coroação onde o padre convidou todas as Aparecidas presentes para coroarem a virgem. A coroa foi colocada pelo pároco Padre Paulo e muitos se emocionaram. A pequena imagem de Nossa Senhora, em sua simplicidade e humildade mostra que todos independente do tamanho e classificação social, tem a mesma importância, para Deus. Amém!

Dores de Campos, 13 de outubro de 2017.
Sirlene Cristina Aliane/Pascom
João Bosco Melo/Pascom

Fotos: PASCOM

Benção da Imagem – Missa das Crianças – 08/10/2017

1º Dia do Tríduo- 09/10/17

2º Dia do Tríduo – 10/10/17

3º Dia do Tríduo – 11/10/17

Missa e Procissão em honra à Nossa Senhora Aparecida – 12/10/2017

out 13

Festa de Nossa Senhora do Rosário

Neste domingo, 08 de outubro de 2017, celebramos a memória de nossa mãe Maria, com o título de Nossa Senhora do Rosário, festa essa que deriva da festa de Santa Maria de Vitória, instituída por São Pio V depois da vitória dos cristãos de Lepanto.

Nada melhor que homenageá-la com uma belíssima missa celebrada pelo reverendíssimo Pe. Paulo Marcelo que inspirado pelo Espírito Santo proferiu uma homília muito rica em que dizia sobre a importância, nobreza e o devido lugar de Maria para nós, cristãos católicos. Em seguida, houve a piedosa procissão embalada ao som da banda de Congado de Nossa Senhora do Rosário que prestou sua humilde, mas ao mesmo tempo, singela homenagem e para encerrar com o devido respeito e veneração, nossa mãezinha foi coroada pelo nosso pároco representando cada um de nós que ali estávamos a render-lhe nossa gratidão.

Como foi gratificante e lindo ver o largo do Rosário apinhado de pessoas que mais pareciam uma rosa sendo ofertada a mãe do Rosário que tanto fez, faz e continuará fazendo por cada um que a Ela recorre.

Obrigada mãe do Rosário!

Por Ayla Darlene de Souza – PASCOM

out 02

Relatório da Festa de São Vicente de Paulo

Quem tem o hábito de participar das Santas Missas, certamente deve ter ouvido, em suas muitas homilias, Pe. Paulo Marcelo asseverar que Santos são pessoas comuns que se destacam das demais, por ter entendido na íntegra a mensagem salvífica de Jesus  Mt. 25 … eu estava nu e me vestistes; eu estava doente e cuidastes de mim; eu estava na prisão e fostes me visitar… e atendido ao chamado subliminar de Deus ao serviço. A Isso podemos destacar São Vicente de Paulo, que, através da máxima “a caridade fecha os olhos e abre os braços” apresentou-nos, de forma concreta, o Reino proclamado por Jesus, pois se investigarmos a Primeira Carta aos Coríntios cap.13 constataremos que o que apraz ao Pai será, sempre, a “Excelência da Caridade”. É nessa pretensa que hoje, mais precisamente dia 24 de setembro do corrente ano, o Conselho Particular da Sociedade de São Vicente de Paulo, de Dores de Campos, comemorou, com muita simplicidade, a morte de São Vicente Paulo (27/09/1660 em Paris/França), através da Celebração da Santa Missa, seguida por uma procissão em direção ao Salão José Tarcísio, Praça Altivo Moncorvo, para uma assembléia festiva, quando numa simplicidade discursiva Raimundo do Bochecha, Presidente do Conselho Particular abriu os trabalhos. Na oportunidade o confrade Edmilson José da Silva compartilhou, com todos, uma bela mensagem, seguido pelo confrade Ilailton Trindade Santana, Comissão dos Jovens do Conselho Particular de Matozinho, que na oportunidade parabenizou a todos pelas homenagens a São Vicente de Paulo e ratificou que os trabalhos deverão continuar, sempre, sob a ótica “Deste” e no respeito às regras instituídas pelo beato Antônio Frederico Ozanan. Em seguida um quarteto de meninas, oriundas da Conferência São Luiz Gonzaga, proclamou, através de uma bela canção o propósito de nossa Fé. Antes de finalizar a reunião festiva, através de uma simples oração, foi apresentado dois novos confrades e uma consorcia.

Oração da família Vicentina

Senhor Jesus, Tu que te fizeste pobre, faze que tenhamos os olhos e o coração voltados para os pobres e que possamos reconhecer-Te neles; em sua sede, em sua fome, em sua solidão e em sua dor. Suscita em nossa Família Vicentina a unidade, a simplicidade, a humildade e a chama de caridade que inflamou o coração de São Vicente de Paulo. Dá-nos a força para que, fiéis à prática dessas virtudes, possamos contemplar-Te e servir-Te na pessoa dos pobres e um dia unirmo-nos a Ti e a eles no teu reino.
Amém

Por João Bosco de Melo

Dores de Campos, 24 de setembro de 2017

set 16

Festa de Nossa Senhora das Dores – 2017

Em concordância com todas as reflexões observadas nas Missas, das diferentes localidades de nossa cidade e também no Setenário das Setes Alegrias de Maria, quando vários Padres tiveram a oportunidade de expor, sempre de forma assertiva uma releitura de cada alegria conjugada com a dor, Dom Célio de Oliveira Goulart, bispo de nossa diocese, na missa festiva em homenagem à padroeira, ratificou de forma simples, porém profunda, Sua importância no processo da, nossa, que foi o Sim Dela, que originou a redenção da transgressão cometida por Eva, no Paraíso, segundo Gênesis __ “Porei hostilidade entre ti e a mulher, entre tua linhagem e a linhagem dela. Ela te esmagará a cabeça e tu lhe ferirás o calcanhar.” E no aplocalipse de São João:__Apareceu um grande sinal no céu: uma mulher vestida do sol, tendo a lua debaixo dos seus pés e na cabeça uma coroa de doze estrela, que esmagará a cabeça do dragão”. A isso não tem como duvidar da importância dessa Grande Mulher, que todos em sã consciência a reconhece, como tal e que São Luís Maria Grignion de Montfort a denominou como:__ Collum Dei (pescoço de Deus), pois viu Nela o canal direto entre Deus e os homens. Toda a comunidade Católica dorense reconhece em Maria, a escolhida desde a criação do mundo, como a que seria a grande educadora  de Jesus, para que Este nos levasse de maneira direta ao Pai, sem o subterfúgio das cortinas do templo, que Ele do alto do madeiro rasgou.

Dom Célio pontuou o estado de prontidão que devemos ter ao atender, de forma concreta, às necessidade dos nossos irmãos e, também, que nossos rogos e nossas preces não deve nos deixar em estado de letargia e alienação, antes deve ser um estado de consciência da predições da Boa Nova, apregoada por Jesus, para a prática. Vale lembrar, em tempo, que Pe. Paulo Marcelo de forma inteligente disse que a grandeza de Maria consiste na discrição, na maneira de se fazer pequena, a isso analisou o contraste da pequenez da imagem de Maria, a Senhora de Aparecida, em contraste da suntuosidade arquitetônica de Seu Santuário. Em meio a tantos alertas denunciados em tantas reflexões, devemos policiar-nos, se o caminho que escolhemos está condizente com o ensinado por Maria a Jesus e para o caminho ensinado a nós, pois quando Ele disse: __”Mulher eis ai teu filho! Filho eis aí tua Mãe” tornou-nos partícipes da mesma família, sendo Ela a Nossa Senhora, a Nossa Mãe. Logo após a Missa Maria foi conduzida pelas ruas de nossa cidade e, quando recepcionada, novamente na Matriz e coroadas pelas mãos de Pe. Paulo Marcelo, de forma figurativa e poética os fogos de artifício trouxeram para pertinho de todos os fiéis, que soerguiam lenços brancos de paz, um céu coruscado de estrelas multicores.

Foi uma festa, tal qual às preteridas, belíssima.

Parabéns a todos os envolvidos, destacando desses o jovem Vinícius Teixeira, que com delicadeza e esmero colocou Maria, Senhora das Dores de todos nós, em belos e vastos jardins do paraíso, tais quais os sonhados, que não conhecemos, porém sentimos existir.

Por João Bosco de Melo – PASCOM

Dores de Campos, 16 de setembro de 2017

set 13

Entrevista com o decorador Vinícius

Entrevistamos o decorador Vinícius Allan Lima Teixeira, filho de Edgard Alan e Márcia Valéria, que desde cedo sempre ajudou na igreja como coroinha, nos trabalhos da sacristia e desde 2014 assumiu o trabalho de decoração.

PASCOM: Como você iniciou o trabalho de decorador da paróquia de Nossa Senhora das Dores?

Vinícius: Iniciei ajudando ao Amarildo, que na época era o sacristão e decorador, que é, abaixo de Deus, a quem devo grande parte do que sei e faço atualmente na área da decoração. Com sua saída da igreja no final do ano de 2014, o Denilson foi promovido a sacristão e, como ele não atua também na área da decoração, o Padre Paulo conversou comigo e disse que se eu aceitasse seria o responsável pela decoração da paróquia a partir daquele momento, com muito amor e carinho, logo aceitei e estou aí até hoje!

PASCOM: Como funciona o processo de criação de uma decoração da igreja e dos andores? Você cria um projeto e desenha cada detalhe? Alguém lhe auxilia na criação e execução das decorações?

Vinícius: Escolho primeiramente a combinação de flores e cores que estou afim de usar pra determinada decoração, aí, surgem milhares de ideias e tudo vai começando a tomar forma. Projeto e desenho só crio em decorações maiores e ocasiões mais especiais como faço todos os anos na festa da Padroeira, e como fiz na Ordenação Presbiteral do Padre Rodrigo, por exemplo. Sim, não em todas as decorações, mas minha amiga Elza e meu primo Guilherme sempre me ajudam separando flores, contando, limpando, etc., a montagem dos arranjos faço tudo sozinho, do contrário não ficam iguais uns aos outros.

PASCOM: Há algum desafio para conseguir as flores para a decoração?

Vinícius: Sim, o bendito “preço da semana”. A flor varia seu preço de acordo com a semana, dependendo do clima e da produtividade. Então faço um orçamento com antecedência, sempre colocando o valor um pouco mais alto, pensando nesses imprevistos que sempre acontecem, como aconteceu agora em setembro entreguei o orçamento ao Padre no princípio de agosto, com determinadas flores e valores. Segunda-feira, quando fui olhar os preços da semana foi necessário mudar grande parte do projeto e orçamento iniciais, claro, sem sair das cores e temas que planejei pra 2017.

PASCOM: Qual a sensação de preparar a mãe de Deus para seu grande dia?

Vinícius: Indescritível. Acho que a palavra que melhor defina isso seja  AMOR. Amor, emoção, orgulho, ansiedade, é uma imensidão de sentimentos que não cabem no coração, e no final, quando tudo está pronto e vejo que mais uma vez deu certo, tudo isso escorre pelos olhos!

PASCOM: O que a Nossa Senhora das Dores representa para você enquanto filho e decorador?

Vinícius: Abaixo de Deus, posso dizer com muita certeza que ela é TUDO pra mim. Um amor infinito, puro e sincero que todos nós temos por nossa padroeira, pra mim, uma honra um pouco maior, em cuidar dela e deixá-la ainda mais linda pra todos os outros filhos verem e apreciarem sua beleza, no dia de seu aniversário, o dia que todos nós vamos a casa dela para visitar a aniversariante do dia, como fazemos com nossos entes queridos.

PASCOM: Pode nos adiantar alguma coisa da decoração deste ano?

Vinícius: Posso dizer que esse ano estou muito ousado. Busquei usar muitas novidades, coisas diferentes, combinações nada óbvias de cores já conhecidas, mas que nunca foram pensadas em serem usadas juntas. Uma coisa que farei, que nunca fiz antes e que acho que irá chamar bastante atenção, será o andor de cores diferentes do altar. Sempre fazia os dois combinando. Pensei, o andor precisa de destaque, então, resolvi decorá-lo em cores totalmente diferentes do que as que estarão no altar.

PASCOM: Há algo mais que você queira nos dizer sobre o seu trabalho?

Vinícius: Amor, dedicação, empenho, preço bom e qualidade! Deixo meu contato para quem se interessar para alguma decoração, casamento, 15 anos, etc.

Vinícius Allan Lima Teixeira.

Cel.: (32) 99966-3126.

Email: viniciusteixeira808@yahoo.com.br

Facebook: Vinícius Teixeira.

Fan Page: Vinícius Teixeira – Decorações e Eventos.

set 04

As alegrias e dores de Maria

A Igreja Católica celebra neste dia 15 de setembro a festa de Nossa Senhora das Dores, que ensina a ser forte diante dos sofrimentos da vida e ter Maria e seu Filho como companheiros de caminho.

Contemplamos as 7 alegrias de Maria que são: 1ª Alegria – A anunciação do Anjo; 2ª Alegria – Visita de Maria a sua prima Isabel; 3ª Alegria – Nascimento de Jesus; 4ª Alegria – A Adoração dos Reis Magos ; 5ª Alegria – O Encontro do Menino Jesus no Templo; 6ª Alegria – Maria vê a Jesus Ressuscitado; 7ª Alegria – A Assunção de Maria e sua Coroação no Céu

Entre as sete dores de Nossa Senhora se encontram: a profecia de Simeão no templo, a fuga para o Egito, os três dias que Jesus esteve perdido, o encontro com Jesus levando a Cruz, sua Morte no Calvário, a lança que atravessa o coração de Jesus e quando é colocado no sepulcro.

Apesar de tudo, Ela se manteve firme na oração e na confiança na vontade de Deus. Agora a Virgem quer nos ajudar a levar as nossas cruzes diárias.

Salve,Maria!

Por Ayla Darlene de Souza – PASCOM

Clique aqui e confira a programação da Festa de Nossa Senhora das Dores 2017

ago 15

Semana da Família 2017

Se procurarmos nos dicionários o significado de “Família”, certamente, constataremos se tratar de um grupo de pessoas com ancestralidade em comum vivendo sob o mesmo teto, porém sabemos se tratar de algo mais. Sabemos que em Família está a célula primeira da sociedade, pois na mesma constatamos se tratar de um criatório de sentimentos e desejos que irão impactar positiva ou negativamente na sociedade. Pois é na Família que os exemplos, oriundos, dos pais irão formatar o caráter (marca) dos filhos e esses a imporá na relação com terceiros. Se procurarmos, também, nos dicionários a designação de “Igreja” constataremos se tratar de um conjunto de pessoas, nunca de um templo, na pretensa de se viver harmonicamente sob a orientação dos ensinamentos de Jesus Cristo. Para tanto, mediante aos bons exemplos da Família de Nazaré, foi realizado entre os dias 06 a 13 do corrente mês, consoante ao desejo comum de todos os movimentos e pastorais de nossa paróquia e sob a orientação da CNBB, a Semana da Família, quando se pretendeu uma reflexão profunda sobre os problemas que avançam em nossa sociedade, e denunciar o propósito de cada um na construção de um mundo melhor. Se buscarmos pela memória nas muitas homilias proferidas pelo Pe. Paulo Marcelo, constataremos  a afirmativa do profeta Jeremias: __ “Antes que no seio fosse formado eu já te conhecia; antes do teu nascimento eu já havia te consagrado”, para tanto nós temos uma responsabilidade nesse mundo, nós não estamos aqui pelo acaso da sorte, ou meramente como reação de uma relação sexual. Há uma máxima, que infelizmente não sei o autor, que corrobora os dizeres de Jeremias:__ “De onde vem o propósito de nossas vidas? Vem do acaso como se fosse sorte, ou é um chamado de Deus acenando a cada um de nós, para que possamos fazer a nossa parte no mundo?”. Nessa pretensa tivemos uma semana forte, quando se pôde ir fundo nesse propósito salutar, que é o de através do compromisso do “Sim”, assumidos na realização do matrimônio, formatar uma sociedade com valores éticos, quando a equivalência entre todos possam se tornar uma realidade. Para tanto tivemos significativos testemunhos compartilhados pelas senhoras: Leila, Lívia, Jerusa, Cláudia do Totone e Alessandra, que através de narrativas, que muito mais do que emocionar, tiveram a intenção de mostrar que os problemas são oriundos a todos, que a perfeição é uma utopia, que a vida em família não é linear, mas que através da fé, da perseverança e da parceria entre marido e mulher os mesmos podem se tornar um tônico para uma vida estável e feliz (sem a idealização dos romances açucarados).

Na representatividade da Família Dorense, a cada dia um casal adentrou pela nave rumo ao presbitério soerguendo nas mãos a imagem da Sagrada Família de Nazaré, a saber: Fernando e Cássia (e a neta Fernanda Beatriz), José Luiz e Jaine Silvana, Totone do Zé Inácio e Branca ( e família), Clayzer e Moema (e filhos: Gustavo e Fábio), Márcio e Carminha, José Amaro e Irani (e filhos), Ditinho Lacerda e Conceição.

Em meio às celebrações as famílias de todos os seguimentos sociais estiveram representando as demais e pudemos contar, também, com todas as pastorais e movimentos. Tal acontecimento foi encerrado em  meio um frio intenso, em passeata da Praça Cardoso  a Matriz, ao som da bela música do Pe. Zezinho: … Que a família comece e termine sabendo aonde vai / E que o homem carregue nos ombros a graça de um pai / Que a mulher seja um céu de ternura, aconchego e calor / E que os filhos conheçam a força que brota do amor…Encerrando com a celebração de uma Missa Festiva, quando se pôde enaltecer , mais uma vez o protótipo da Sagrada Família, como orientação a todas outras, além de prestar uma homenagem ao Dia dos Pais.

Parabéns ao casal de coordenadores da Pastoral Familiar: Wellington e Vilmara e a todos os outros envolvidos, que fizeram desta Semana algo diferenciado, quando  tantas mensagens puderam ser absorvidas e ,se Deus quiser, a partir de então, possam ser vivenciadas!

Por João Bosco de Melo – PASCOM

Dores de Campos, 13 de agosto de 2017

Fotos: PASCOM

Posts mais antigos «