jul 02

Série Exemplos: Tinoca

01Se alguém perguntar: Qual o elemento que compõe um homem? Certamente, será respondido: Caráter, oriundo de uma vivência familiar, pautada pela retidão, pelo respeito e por objetivos nobres. Se tal questionamento for direcionado ao Sr. José Tarcísio, às informações serão elencados, que ele nasceu no dia 23 de junho de 1935 de uma família numerosa tendo como país o Sr. Joaquim Teixeira (Quinzinho) e da Sra. Maria José Goulart. Sendo que desde pequeno aprendeu o exercício da misericórdia, não pela gentileza, mas pela ação concreta ao ir com seu pai ao encontro dos menos favorecidos, tendo nas mãos e na intenção a bandeira da Sociedade de São Vicente de Paulo. A isso trás em suas memórias muitos causos, que o torna uma companhia agradável, pois no calendário das mesmas vai desfiando e acendendo acontecimentos em uma cidade desmemoriada.

Ainda jovem ingressou na Conferência São Luiz Gonzaga, uma das muitas células que compõe a SSVP, sendo que essa preparava os jovens, para a fidelização e compromisso no que tange a promoção humana, através da caridade. Tanto que mais tarde ingressou na Conferência Nossa Senhora das Dores, sendo essa fundada por seu venerando pai. No decorrer de mais de 70 anos exerceu vários cargos, tais como: secretário, tesoureiro e presidente, tendo como plataforma de conduta a conciliação em meio a embates, visando, sempre, a priorização da própria SSVP. Em tempo vale ressaltar a competente administração, quando na presidência do Conselho Particular e, também, no cargo de tesoureiro deste mesmo Conselho. Vale ressaltar que em todos os domingos, pela manhã, pode-se encontrá-lo em reunião com os confrades e consorcias da Conferência Nossa Senhora das Dores. Devido ao reconhecimento de sua notabilidade o salão mais importante do prédio da SSVP contem o seu nome.

Dizem que os deuses fizeram das tripas coração e, em tempo, uma lira e a essa o Sr. José Tarcísio, se dedicou, também, toda a sua vida. Fazendo desse ardil poético a trilha sonora de todos os acontecimentos festivos e funestos de Dores de Campos. Em seu espírito altruísta passou e passa para os leigos (nas dependências da Lira Nossa Senhora das Dores) todos os acordes para se fazer e entender uma composição sonora, tanto que pode ser comprovado pelos moradores da Rua Silvio Tranqueira e pelos transeuntes que por lá passam e escutam os: dó, ré, mi, fá, sol, lá, si, na compreensão dos solfejos, pelos alunos que aspiram ser músicos, como ele.

Pela referência, em sinal de carinho, todos o chamam pelo codinome: “Tinoca” e é assim que ele gosta de ser chamado. Sempre, em companhia de seus três filhos e em meio a uma alegria pela vida, ainda pode se observar, em seu sorriso, uma nesga de tristeza e uma imensa saudade de sua querida esposa Dona Dely, in memorian.

Assim é o Sr. José Tarcísio, um homem, verdadeiramente, bonachão! Um exemplo a ser seguido!

Por João Bosco de Melo – PASCOM

Dores de Campos, 24 de junho de 2015

jun 28

Caminhada ao Livramento

001Na frente da igreja matriz de Nossa Senhora das Dores, em um domingo de inverno o povo se aglomerou para caminhar até a igreja do Livramento. O fervoroso padre Paulo Gomes Daher Gomes Filho, o pároco de Dores de Campos liderou a caminhada conduzindo orações de um povo contrito e devoto. No caminho o padre citou Moisés que conduziu seu povo através do deserto por 40 anos até a terra prometida, enfrentaram vários obstáculos, mas nunca se esqueceu de sua fé em “Javé”, Deus. Citou o profeta e comparou com a caminhada ao Livramento, pois é uma romaria do povo de Deus até um lugar santo para uma missa em honra de Nossa Senhora do Livramento. O caminho pareceu curto diante de tanta devoção do povo dorense. A fé em Deus é o sustentáculo do povo cristão.

O povo dorense chegou ao Livramento para a realização de uma missa concelebrada pelo padre Paulo e Dirceu, dois servos de Deus que celebraram a cerimônia festiva com muita alegria e fé. A leitura do evangelho era um alento para o povo de Deus, pois se tratava do capítulo no qual Jesus acalmava uma tempestade, mas os seus seguidores não tiveram a fé necessária para acreditar no poder do salvador. Atualmente o ser humano ainda vacila em sua fé diante de tantos perigos e obstáculos. Mas a multidão que assistia a missa se emocionou com as palavras do padre Dirceu, as músicas e durante toda a cerimônia pessoas contritas se emocionavam diante do prodigioso poder de Deus e de Nossa Senhora do Livramento. Através das palmas e da homenagem à mãe de Deus, o povo em geral se dobrou ao mistério da fé.

“Nem todo aquele que me diz: “Senhor, Senhor”, entrará no Reino dos Céus, mas quem fizer a vontade do meu Pai que está nos céus.” (Mat. 7,21).

Por Sirlene Aliane

Fotos: Pascom

jun 15

Coroação a Santo Antônio

01Ontem, precisamente, dia 13 de junho do corrente ano, realizou-se na Igreja Matriz Nossa Senhora das Dores a Missa em homenagem a Santo Antônio, considerado o santo mais popular da Igreja Católica. Vale ressaltar, a título de conhecimento, que tal santo era de origem portuguesa e família abastada, que seguindo os passos de São Francisco de Assis renunciou a tudo para ir ao encontro, e através de um conhecimento profundo da Boa Nova de Cristo, difundi-la, verdadeiramente, na sua essência, contrariando em muito a conveniência estipuladas da época. Vale ressaltar que seu nome de batismo era Fernando e que teve uma vida breve (36 anos), porém bastante proveitosa.

Vale, também, ressaltar que tal Missa foi compartilhada com o Movimento Jovem de Emaus, que em sua essência procuram resgatar jovens, para que os mesmos possam trilhar o caminho do bem, tanto que tal movimento teve início, através de um sacerdote francês Abbé Pierre, quando ao acolher em sua casa um assassino disse-lhe: Não tenho nada para lhe oferecer, nessa noite, mas poderíamos juntos, construir casas para pessoas, iguais a você, sem teto, que se encontram perdidas. As leituras e o cerimonial das oferendas ficaram a cargos desses.

Mas o momento forte da santa Missa ocorreu durante a homilia, quando ocorreu o batizado do menino Vítor Gabriel. A esse momento Pe. Paulo, de forma inspiradíssima, foi pontilhando a contextualização do Evangelho de São Marcos (4, 26 – 34) na inserção de mais um novo Cristão Católico nos campos de Deus.

Ao final da cerimônia houve coroação a Santo Antônio por meninos em trajes condizentes ao homenageado e benção dos pãezinhos.

Em tempo há que se parabenizar a Sra. Nilma Helena Marques Silva, que de forma competente e de boa vontade vem perenizando essa pratica religiosa em nossa paróquia, através das coroações condizentes ao tempo litúrgico. Que Deus a proteja, sempre, Nilma!

Por João Bosco de Melo

Dores de Campos, 14 de junho de 2015.

jun 15

Solenidade do Sagrado Coração de Jesus

001Atendendo ao pedido do Pe. Paulo, a comunidade se reuniu para a solenidade do Sagrado Coração de Jesus na última sexta-feira, dia 12/06. Às 18h aconteceu a reunião mensal do apostolado da oração. Logo após, a Santa Missa. Na prática Pe. Paulo relembrou a origem da solenidade do Sagrado Coração de Jesus, explicando que a escolha do coração é pelo fato de que este órgão guarda os sentimentos e que o nosso coração muitas vezes é alimentado com amor e ódio e o de Jesus só tem amor. Também falou sobre a importância do apostolado da oração. Ao final da celebração, foram abençoadas as fitas do apostolado da oração e foi apresentada uma nova integrante do movimento.

Após a Santa Missa, formou-se a procissão com a imagem do Sagrado Coração de Jesus que percorreu as ruas ao redor da Matriz. A solenidade foi encerrada com a coroação de desagravo ao Sagrado Coração de Jesus realizada por 3 meninos da comunidade.

Oração ao Sagrado Coração de Jesus:

Ó Coração Sacratíssimo de Jesus, fonte viva e vivificante de Vida Eterna, tesouro infinito de divindade, fornalha ardente de amor divino, vós sois o lugar do meu descanso, o refúgio da minha segurança.

Ó meu amável Salvador, inflamai o meu coração daquele amor ardentíssimo do qual arde o vosso; derramai nele as inumeráveis graças de que o vosso Coração é a fonte.

Fazei que a vossa Vontade seja a minha e que a minha vontade seja eternamente conforme a vossa. Amém.

Por Nairon Neri Silva – Pascom
Dores de Campos, 12 de junho de 2015

jun 07

Visita de Nossa Senhora Aparecida em Dores de Campos e Festa de Corpus Christi

029A notícia que Nossa Senhora Aparecida chegaria a Dores de Campos em 04 de junho de 2015 no dia de Corpus Christi agitou a cidade, os moradores das ruas organizaram mutirões para enfeitar suas ruas com bolas, bandeirolas, enfeites de bambus, etc. Uma verdadeira união para que a cidade ficasse bonita, para a visita da Ilustre Senhora. O meritíssimo Pe. Paulo convidou a todos os paroquianos para uma procissão motorizada até Barroso, para receberem Nossa Senhora Aparecida. Quanta emoção! Muitos carros e motos foram em busca da Santa, e pôde constatar na maioria do povo uma alegria inenarrável na recepção da Mãe Aparecida. Em procissão, Nossa Senhora percorreu as ruas da cidade emocionando a todos, muitos choravam, acenavam e balançavam panfletos. A chegada de Nossa Senhora até a matriz foi um cortejo que realçou, ainda mais, a devoção do povo por Esta, nos simples toques em sua, pequena imagem testemunhando, com isso, a fé contida em seus corações, extravasada em lágrimas.

010A missa de Corpus Christi com a presença de Nossa Senhora Aparecida foi uma dádiva, pois também se celebrava naquele momento a primeira comunhão de 104 crianças do município de Dores de Campos, preparadas com tanto carinho pelas catequistas da paróquia, numa eucaristia histórica, mediante a Essa ilustre visita. Na tarde desse mesmo dia a procissão de Corpus Christi aconteceu de maneira emocionante em meio às ruas enfeitadas por tapetes multicoloridos, denunciando em suas estampas o motivo dessa festa. Após a procissão foi celebrada uma missa campal, com a participação de grande aglomeração de fieis, quando muito se emocionaram com a presença do Santíssimo Sacramento, ao fazer seus pedidos e agradecimentos, sendo que após esse momento de enlevo houve a coroação de Nossa Senhora Aparecida por 06 senhores, representando o Terço dos Homens.

Na sexta-feira dia 05 de junho os fieis dorenses veneraram Nossa Senhora Aparecida se revezando, todo o dia, na Igreja Matriz, rezando o sagrado terço, através dos movimentos religiosos civis e do povo em geral. A presença de Nossa Senhora Aparecida em Dores de Campos reafirmou a devoção Mariana de um povo que pretende alcançar a felicidade e a harmonia, através de uma mudança espiritual definitiva. Na missa dos jovens o Pe. Paulo se mostrou muito emocionado, pela voz embargada e pelos olhos inundados por lágrimas contidas, enquanto a imagem era conduzida por um jovem, integrante do Movimento Emaús e por uma menina a executar na sanfona a música Romaria. A essa emoção os fiéis foram solidários.

No dia 06 de junho Nossa Senhora visitou a Escola Estadual Duque de Caxias, pois a comunidade escolar tem a esperança que a visita de Nossa Senhora mude o cenário de uma escola com problemas de disciplina tão severos e preocupantes. Em seguida visitou, na intenção de abençoar, a Policlínica. À tarde a Matriz se fez repleta de devotos para a reza do terço. Logo após, enquanto o coral executava “… Daí-nos a benção, oh Mãe querida, Nossa Senhora aparecida…” Pe. Dirceu com os olhos lacrimejantes pela emoção adentra pela nave seguido por crianças caracterizadas de pescadores, para a Celebração de Envio. Já na rua, a Pequenina Imagem de Nossa Senhora foi entronizada em uma pequena barca por sobre um veículo, tendo a seu lado Pe. Paulo e Pe. Dirceu, para ser conduzida à cidade de Prados. A isso uma multidão foi a acompanhando pelas ruas entre cantos, vivas e acenos de adeus até a Praça Cardoso, quando numa manobra brusca, desapareceu numa curva, deixando todos os fiéis saudosos, porém alegres e esperançosos, que algo de bom virá.

Obrigado Mãe querida, Maria Santíssima,que em vossa querida Imagem de Aparecida espalhais inúmeros benefícios sobre todo o Brasil, eu, embora indigno de pertencer ao número dos vossos filhos e filhas, mas cheio do desejo de participar dos benefícios de vossa misericórdia, prostrado a vossos pés – consagro-vos o meu entendimento, para que sempre pense no amor que mereceis. Consagro-vos minha língua, para que sempre vos louve e propague a vossa devoção. Consagro-vos o meu coração, para que, depois de Deus, vos ame sobre todas as coisas. Recebei-me, ó Rainha incomparável, no ditoso número de vossos filhos e filhas. Acolhei-me debaixo de vossa proteção. Socorrei-me em todas as minhas necessidades espirituais e temporais e, sobretudo, na hora de minha morte. Abençoai-me, ó Mãe Celestial, e com vossa poderosa intercessão fortalecei-me em minha fraqueza, a fim de que, servindo-vos fielmente nesta vida, possa louvar-vos, amar-vos e dar-vos graças ao céu, por toda eternidade.

Assim Seja, Amém!

Por Sirlene Aliane – PASCOM

Fotos: PASCOM

Dores de Campos 07 de junho de 2015

mai 31

O Encontro com Jesus Eucarístico

01Comprovações de que Jesus está vivo e presente na Eucaristia não nos falta, basta se lembrar de tantas vezes que o seu coração indicou isso a você. Neste sentido, gostaria de contar uma experiência que tive quando era Ministro Extraordinário da Eucaristia em nossa paróquia:

Fui escolhido para ser Ministro no ano de 2010, participei do curso preparatório e no mês de setembro iniciei junto com outros 9 colegas, o privilégio de levar Jesus aos irmãos. Dentre as diversas atividades de um ministro, acredito que a mais importante e gratificante é a de levar Jesus aos irmãos enfermos e idosos que não podem frequentar a Santa Missa.

Certa vez, em uma manhã de sábado, fui até a Capela de Nossa Senhora do Rosário para levar Jesus aos enfermos como de costume. Chegando lá, fiz as orações, abri o Sacrário e quando fui retirar uma das âmbulas, acabei por derrubar outra dentro do Sacrário. Neste momento, fiquei um pouco nervoso, mas consegui guardar todas as Hóstias Consagradas. Verifiquei que não havia nenhuma outra Hóstia fora do Sacrário, a não ser as que estavam em minha Teca para levar aos enfermos. Saí um pouco abalado com o que aconteceu, mas era preciso ir, pois em duas casas haviam pessoas aguardando Jesus.

Fui então até as duas casas, fiz as orações próprias para o momento e após os enfermos comungarem, purifiquei a Teca (com água). Normalmente após terminar iria para casa. Porém neste dia algo me incomodou bastante, parecia uma voz interior que me pedia para voltar até a Capela do Rosário.

Atendendo a esse sentimento que eu não compreendia bem naquele momento, me dirigi até a Capela e só então entendi o motivo que me fez retornar. Chegando diante do Altar, olhei para o Sacrário e havia do lado uma Hóstia Consagrada. Coloquei novamente o jaleco para poder Comungar aquela Hóstia, conforme julguei ser correto naquele momento. Esse acontecimento me marcou bastante e me recordo com detalhes até hoje.

Relatei este fato para que você possa refletir sobre o que me levou até a Capela do Rosário após levar Jesus aos enfermos, sendo que normalmente retornaria para casa. Creio que a sua reflexão será semelhante a minha: foi Jesus Cristo Vivo presente na Eucaristia.

Se você tem alguma passagem semelhante a essa, comente abaixo e compartilhe com todos nós.

Abraço

Por Nairon Neri Silva

mai 25

Festa de Nossa Senhora de Fátima

01Desde que Nossa Senhora de Fátima apareceu em 1917 por sobre uma azinheira, na Cova da Iria (Portugal), aos três pastorinhos: Lúcia, Jacinta e Francisco, que a Igreja Católica a homenageia com as rezas do Santo Rosário, com Novenas, Missas, Procissões e coroações. Aqui, em Dores de Campos, não poderia ser diferente, sempre se fez do mês de maio, o mês de Maria e desde que a localidade do bairro do Bairro do Catete se alternou para Bairro Nossa Senhora de Fátima, quando lá foi soerguida uma Capela, em homenagem a Ela, que os fies se deslocam para lá, todos os anos, a fim de acompanhá-la (representada em uma bela Imagem) em procissão e para a participação do Sacrifício da Santa Missa. E foi dessa maneira que hoje, 24 de maio de 2015, todos os fiéis Marianos subiram a tal bairro, quando todas as homenagens, já citadas, foram concretizadas. Vale ressaltar que a procissão foi animada pela banda: Lira Nossa Senhora das Dores e a Santa Missa pelo coral: Vozes dos Anjos.

Por João Bosco de Melo

Dores de Campos, 24 de maio de 2015

mai 25

Espiritualidade humana

01

Desde as primeiras

Civilizações o ser humano

Ansiava por uma

Referência espiritual.

No início

Eram politeístas,

Acreditavam em

Vários deuses,

Sempre buscando o

Sentido do

Universo, da

Natureza e

Da vida.

O ser humano

Sempre procurou

Respostas para

Sua existência

Aqui na terra.

 

Os hebreus

Acreditavam em

Um Deus único

Criador de todas

As coisas na

Terra e no

Universo.

Esse povo

Foi perseguido

E escravizado

Durante séculos.

A vida e morte de Jesus

Foi a concretização

Das profecias

De vários profetas

Do antigo testamento.

 

Mas muitos povos

Ainda acreditam

Em vários deuses,

Outros em Alá

Em Buda,

Ou mesmo

Esperam a

Vinda do Messias.

A maioria

Das pessoas

Busca um referencial

Espiritual para

Esse turbilhão

De acontecimentos

E sentimentos

Da história

Humana.

 

O ser humano

Em sua finitude

E fragilidade

Busca um sentido

Para a sua

Existência,

Pois apesar

De todos

Os descobrimentos

Científicos

E tecnológicos

As pessoas

Tem um tempo

De vida,

Portanto

São mortais.

 

“A mortalidade humana é um limite e um mistério na vida do ser humano.”

Abração aos leitores!

Por Silene Aliane

Contato: sirlenealiane@yahoo.com.br

mai 18

Festa de Imaculada Conceição

01Respondendo a um convite do Sr. Natalino (Irmão do Santíssimo) a Irmandade do Santíssimo Sacramento compareceu à Missa de encerramento dos festejos em homenagem a Maria Imaculada Conceição, na capela do mesmo nome, na localidade da estação de Prados, quando na mesma o Pe. Paulo Marcelo a exaltou como sendo “Esta” a primeira missionária da Boa Nova, quando da visita de sua parenta Isabel. Na ocasião explicou o motivo do codinome “Imaculada Conceição – Concebida sem Mácula”, que desde o seu nascimento ela foi preservada do pecado, ela foi preparada para ser a Mãe do Filho de Deus. Vale ressaltar, também, que tal título é um Dogma da Igreja Católica, proclamado pelo Papa Pio IX, no ano de 1854. Creio que já é sabido de todos, que foi a Própria Maria Santíssima que se proclamou como tal á Bernadette de Soubirous, quando em uma gruta em massabielle, nos arredores de Lourdes disse: – Eu sou a Virgem Imaculada Conceição!

Após a Missa houve um pequeno cortejo nos arredores da Capela. Em tempo vale registrar que tal festejo foi animado pelo Coral Ministério de Música e pela Corporação Musical São Sebastião.

Obrigado ao Irmão Natalino, que nos muitos anos de sua vida tem se dedicado à preservação da Capela e ao culto à Maria Imaculada Conceição. Que Deus permita ao senhor muitos anos de uma vida pautada na fé e a demonstrar para as novas gerações, que no caminho de Deus, com Maria, vale a pena percorrer.

Por João Bosco de Melo – PASCOM

Dores de Campos, 17 de maio de 2015

mai 12

Crianças rezando o Terço no Dia das Mães

01Uma vez, que já é sabido sobre a peregrinação de Nossa Senhora Aparecida pela Diocese de São João del Rei e que o mês de maio é a Maria Santíssima, Pe. Paulo Marcelo, em comum acordo com os paroquianos, achou que para a ilustre visita de Maria, Nossa Senhora, todos deveriam se preparar e para tanto, nada melhor que destinar tal mês, para a reza diária do terço em todos os lares de nossa cidade. Embalada nessa intenção as catequistas resolveram rezar o terço com todas as crianças, antes da Missa da 10:00 horas, em cada domingo, uma vez que, também, é sabido que haverá a Primeira Comunhão no dia de Corpus Christi e a ilustre visita de Nossa Senhora. Para tanto, conclamaram a todas, que munidas de terços compareceram, sendo que os mistérios foram cantados. Às meninas couberam rezar as Ave-Marias e aos meninos as Santas Maria, nessa intenção houve um verdadeiro embate de vozes, quando cada parte queria rezar mais alto, do que a outra…coisas espontâneas, que fazem a beleza da infância.

Ao final da missa foi realizada uma, singela, homenagem para todas as mães, representadas essas, pela jovem senhora Monique, a saber:

Senhor,

Já aprendi que Jesus teve uma Mãe,

Uma Mulher cheia de fé e muito pura

O nome dela é Maria de Nazaré!

Ela cuidou com amor do Menino Jesus!

Acho, que minha mãe se parece com Ela!

Mamãe é bondosa e cheia de ternura,

Cuida com amor de nossa família.

Ensina-nos a respeitar o teu santo nome

E nos diz que o cristão vive pela fé.

Obrigado por nos ter nos dado Mães,

Essas mulheres tão lindas e especiais!

Que elas tenham paz e saúde,

Para estar, sempre, do nosso lado!

Pois necessitamos muito delas!

Abençoe, Senhor, as nossas Mães!

Amém!

Após a benção final, foram distribuídos cartõezinhos, com mensagens significativas, para as mães.

P/ João Bosco de Melo

Dores de Campos, 10 de maio de 2015.

Posts mais antigos «